caridade

Uma História de Amor a “VIDA”!

A Comunidade Caminho para Paz surgiu através de trabalhos voluntários realizados na minha casa. Tudo começou com o senhor, conhecido como Zetão, que chegou até mim, bastante debilitado, diagnosticado com tuberculose. Logo após, fui presenteada com o senhor Geraldo Frontoura, vindo de São Paulo. Seu quadro era bastante delicado, fazia tratamento contra a hepatite. Aos poucos surgiu o Sr. Joel que, através do Roberto, chegou até a minha residência. Seu quadro não era diferente dos demais, apresentava ferimentos nos pés, seus dedos estavam caindo. Todos eles ficaram vários meses em minha casa, onde Deus, por infinita misericórdia, nos deu forças e condições para exercer com carinho e amor aquilo que nos havia designado. Neste mesmo período, a convite do padre Fernando, Eu e o Marcelão, começamos um programa de evangelização na Rádio Vale Verde e Rádio 88 de Pinhal. O programa foi batizado com o nome de Caminho Para Paz. Em seguida, alugamos uma casa sito, Rua Manuel Mendes, 270 e 458, Jardim Santa Helena, onde ficamos por muitos anos.

Em 1990, participei de um congresso católico em Itaici/SP. Conheci então o Projeto Marta, o qual despertou em mim a força e o desejo de trabalhar com doentes. Mas que tipo e doentes, pessoas que precisariam do meu auxilio?
Aos poucos, Deus no seu amor, me respondeu enviando doentes em alcoolismo, depressivos, dependentes químicos, moradores de rua, abandonados à própria sorte e excluídos da sociedade. Nessa casa acolhemos 18 pessoas. Na época eram poucas pessoas que nos ajudavam que contribuíam para o êxito deste trabalho. Muitos tinham medo, preconceito das pessoas que abrigávamos. Graças a Deus, nunca faltou o mantimento para as refeições deles. Algumas pessoas contribuíam para pagamento do aluguel, outras com vestuário, corte de cabelo, nunca faltou nada para eles (Roberto, Mirão, Vera, Alice, Cidinha e muitos outros). Recebemos também ajuda do senhor José Carlos do Rotary Clube, Hospital Municipal Tabajara que, através da administração, nos doaram 14 camas e colchoes. O Supermercado Big Bom nos ajudou com doações periódicas de leguminosas.

Foi então que reunidos com o grupo de servos fundadores, decidimos legalizar e fundamentar a Comunidade Caminho Para Paz em  02 de fevereiro de 2000 se tornou entidade publica sem fins lucrativos. Nosso primeiro contato foi o vereador Elias, nos recebeu de pronto, onde nos orientou a conversar com o Prefeito Valter, gestor municipal naquela época. Em conversa com o Prefeito Valter, ficamos bastante entusiasmados pois demonstrou interesse pela causa, disponibilizando, a nossa escolha, a melhor área do bairro Jatobazeiro para oficialização do Projeto. Lá fundamos a pedra fundamental e demos início a Comunidade Caminho Para Paz. Com celebração de uma missa, presidida pelo Pe. Paulo Henrique e Pe. Durval, os quais nos motivaram. Através de voluntários, doações, construímos uma simples casa, porém, com muito amor e dedicação. Houve muita oração, vó Vera, Nego, Angelina, Mirão, irmã Gracinha e muitos outros da RCC – Renovação Carismática Católica nos apresentavam e rogavam continuamente por nós e nosso trabalho junto a Deus. Depois de um certo tempo e por motivos da distância e dificuldade para os acolhidos chegarem ao local, nos mudamos. A Prefeitura Municipal de Mogi Guaçu, através da Promoção Social, nos ofereceu a antiga Casa Abrigo Alexandre Gusman com melhor localização e locomoção dos acolhidos e futuros acolhidos pela casa. De comum acordo com toda diretoria e membros do conselho foi realizado a troca da casa no Jd. Jatobazeiro pela atual Casa de Acolhimento. Em 22 de junho de 2013, concretiza o nascimento da Casa de Acolhida para todos aqueles que vivem em situação de rua.

Marieta Mariano Floriano
Fundadora da Comunidade Caminho Para Paz